domingo, 7 de agosto de 2011

Conte a sua história - "P"

A história que vocês vão ler abaixo, é a história de uma codependente, que recém se descobriu inserida nesse mundo que muitas e muitos de nós já conhecemos bem.

Ela namora um dependente químico e está aprendendo a lidar com a situação sem se tornar uma codependente.
Sabemos que muitas vezes, nos tornamos codependentes e não percebemos, é fato que o codependente nega o seu "estado" assim como o dependente nega a sua dependência. Por isso, conhecer os "sintomas", procurar informações, buscar ajuda, são fundamentais para que um familiar evite se tornar um codependente.

O meu nome é "P", tenho 21 anos, faço faculdade de Psicologia e o meu Amor, que é dependente químico tem 20 anos. Tenho um irmão depende químico também que no momento está em tratamento em uma clínica de recuperação em fortaleza, depois de inúmeras recaídas.

Estava na internet procurando algo que fala sobre esposas de dependentes químicos, então vi muitas histórias, entre estas pesquisas vi o blog da Polly (amando um dependente químico), da Gaby( diário da namorada de um adicto em recuperação) e o seu, parei para ler e achei muito interessante. Então, ao ler várias histórias na internet e ao ler a sua convivência com o seu ex-namorado, percebi o quanto é difícil estar do lado de um dependente químico, até então acreditei que não seria da forma como li nas histórias. Fiquei em estado de choque, pois não imaginava que seria tão difícil assim.

Eu namoro um dependente químico há 5 anos, esse ano (2011) vai fazer 6 anos de namoro, mais esses 5 anos foram anos de sofrimentos, desconfianças e tristezas isso tudo por causa da maldita droga, mais não posso negar de que vivemos durante esses 5 anos momentos felizes também apesar da droga. Começamos a namorar em 2005, eu tinha 15 anos e ele 14, depois de uns messes de namoro sempre ouvia histórias do tipo, “cuidado todas as amizades dele (meu adicto) usam drogas”. No começo do nosso namoro sempre ouvia essas histórias, mais eu não me importava muito por que ele não demonstrava comportamentos de um usuário e também porque sempre que conversava com o meu amor adicto, ele dizia que jamais usaria isso e eu confiava nele e também porque eu mesma não quis acreditar no que estavam me dizendo.


Então depois de uns 2 anos de namoro notei algo estranho, ele mostrou comportamentos comigo e com a família dele que não era típico dele, como por exemplo, eu ligava pra meu amor e ele não atendia, saía para comprar algo e demorava bastante pra voltar e as vezes nem voltava pra casa, desligava o celular, , mentia muito, contava histórias que não faziam sentido, mentia mesmo! 

Então depois de uns tempos isso tudo piorou. Ano passado esses comportamentos ficaram frequentes e assim meu namoro se tornou um inferno! Era horriiiivel!!!Depois de ouvir muitas pessoas comentando que o meu amor estava com rapazes que usavam drogas e que estava usando também, ao ouvir com frequência essas histórias e a partir do momento que notei esses comportamentos estranhos (comportamentos que citei anteriormente) e outros comportamentos, depois de perceber isso tudo desconfiei que ele estivesse usando drogas. 

Todo esse comportamento do meu adicto piorou muito no final do ano passado. Diante desses comportamentos, conversava bastante com ele, e até perguntava se ele estava envolvido com drogas e ele sempre negava.

Então, depois que mudei o meu comportamento com o meu adicto, como por exemplo, passei a ter atitudes frias e cheguei até a não me importar mais com ele, e também depois que passamos a viver um inferno no namoro ele não aguentou mais e confessou que estava usando drogas e a partir daí só ouvi promessas do tipo, “não se preocupe isso não vai mais acontecer”, outra, “eu não vou mais fazer isso”. Sempre ele recaia e prometia, mais não parava de usar. 

Ele passava uma semana em casa tranquilo mais depois de uma semana não aguentava e sumia. Então perdi a paciência e conversei com ele mais uma vez para que ele buscasse tratamento, porque sozinho ele não ia conseguir sair dessa, depois de muito sufoco para convencê-lo que ele precisava de um tratamento, aos poucos ele se conscientizou e percebeu que realmente precisava de um tratamento. Então conversei com a família dele para que o ajudassem, e depois de muita conversa, eles o ajudaram e o colocaram em uma clínica. É  a primeira internação dele.

O meu amor esta em uma clínica em recife, são 6 messes de tratamento, faz 4 messes que está na clínica e esse mês vai fazer 5 messes. A visita é uma vez por mês, e a ligação para falar com ele é de 15 em 15 dias. Então nas ligações sempre vou a casa dele para falamos com ele, eu e a família dele. Dou-me super bem com a família dele. A saudade que sinto do meu amor é muito forte. Sempre a família dele vai à visita e ao chegar da visita sempre recebo notícias boas do meu adicto, fotos, vídeos que ele manda, cartas e também envio cartas para ele .Estou muuuuito feliz porque os profissionais que acompanham o tratamento do meu amor dizem que ele tem tudo para se recuperar, por que ele participa de todas as atividades da clínica, sempre está disposto, gosta de participar e está se ajudando bastante para se recuperar, então fico feliz e ao mesmo tempo aliviada por que ele esta se ajudando, ele demonstra que quer vencer.


 
Essa é a minha história. No inicio do tratamento do meu amor não tive medo de que ele recaísse, mas depois que li umas histórias na internet


Eu amo muuuito ele, eu quero estar sempre com ele, o resto da minha vida! Mas eu tenho medo porque eu sei que durante a recuperação ocorre os momentos de abstinência e durante esses momentos corre o risco de recaídas. Eu tenho certeza que suportarei os momentos de abstinência do meu amor, ele pode ficar muitos dias irritada, chato, querer ficar sozinho, eu aguento isso tudo por que saberei que é uma abstinência, mais eu não sei se vou suportar ficar ao lado dele se caso ele recaia. Eu amo muito ele e quero estar do lado dele sempre, por que ele me ama muito dar pra notar e eu também o amo demais.!

O meu medo é de que ele tenha recaídas e eu não sei se vou superar esses momentos de recaídas, mais eu não quero perdê-lo!  Deixei bem claro para a minha família que se caso ele recair eu termino com ele. Falei desse meu medo para Poly e ela me disse o seguinte: “Querida, não lhes digo para deixá-los, e nem para permanecerem com eles. Mas, lhes digo que essa é uma escolha muito dolorosa. Qualquer caminho escolhido vai exigir força e coragem”. 

Então nem sei mais se vou conseguir deixa-lo e se deixa-lo não sei se vou conseguir seguir minha vida e também nem sei se vou cumprir com o que disse para a minha família. Meu pai sempre conversa comigo e não quer isso pra mim, mais não proibe nada.

Apesar de estar confusa e apesar do meu medo, no momento minha decisão é ficar do lado dele e esperar pra ver o que vai acontecer, caso ele recaia ao voltar da clínica, não saberei o que fazer.


Faltam dois meses pra ele votar e eu tenho que me preparar para o que pode acontecer durante a recuperação. Então meu único medo é este, da recaída, eu não sei se teria a coragem que você teve com o seu ex-namorado, de deixá-lo e fazer uma nova historia para você. Te admiro pela força! Gostaria de ser forte e não ter medo de decidir de verdade! Queria ser forte como você e como a Poly. 

************************************************************* 






11 comentários:

  1. "P", em primeiro lugar, obrigada por me mandar o e-mail e participar com a sua história, a forma como você descreve sobre como descobriu a dependência do seu namorado é muito importante, pode ajudar mais pessoas.
    Em segundo lugar, só o fato de você namorar e se manter firme ao lado de um dependente já a torna uma pessoa corajosa.
    Não se castigue agora com o pensamento de ter que tomar uma decisão caso ele recáia, ele ainda tem mais um tempo na clínica e você mesmo falou que está indo bem, portanto, viva o hoje, curta as 24 horas dele que ele está limpo, não permita que esse medo lhe domine.
    Nós não podemos prever a recaída, se vai haver ou não, mas, podemos nos fortalecer a tal ponto de sabermos lidar com tais situações, quando ele sair, ele vai precisar de que você esteja firme, se demonstrar medo ou falta de confiança nele, isso o deixará inseguro. Tenha fé nele e na recuperação dele!
    Você, como namorada, vai apoiá-lo a continuar o tratamento aqui fora e isso fará toda a diferença.
    Querida, não pense nisso agora, em seguir com ele ou parar,para ambos, será um ato de coragem, pense apenas em o que você pode fazer para evitar que se torne uma codependente, isso já faz muita diferença na recuperação dele.
    Eu acredito na recuperação do dependente, mesmo que essa recuperação ainda não tenha acontecido com meu ex, tenho aqui mesmo no blog vários outrso exemplos de pessoas que conseguiram!
    Um beijo grande e estamos juntas, fique em paz e tenha fé, ela é a única coisa que você não pode perder.

    ResponderExcluir
  2. Giulli fico feliiiiz demaaaaaais por postar minha historia, eu que agradeço!
    Obrigado por estas palavras que eu amooo! Isso me dar forças.
    Vi o meu amor hoje (domingo) , ele está suuuuper beemm, muito diferente, não é a mesma pessoa, meu Deus como é que um tratamento muda tanto assim uma pessoa? É INCRIIIIVEL!!!! Quando ele voltar pra clínica te mando um e mail falando tuuuudo que aconteceu esses dias!
    OBRIGGAAAAAAAADO GIULLI!
    Bjuus.

    ResponderExcluir
  3. Querida "P",

    Tenha muita Fé, não fique fazendo planos para o amanhã, viva o hoje, também sentia todo esse medo não vou ser ipócrita que existe recaídas sim, mais se você o ama , continue lutando junto com ele, para que não venha acontece-las, essa doença e doloroza, frequente grupos de auto ajuda como amor exigente, naranon e outros... são muitos bons para sua recuperação. Há seis anos a minha vida virou de ponta a cabeça, leia no blog da Poly, o post casal em recuperação que ela fez uma homenagem a nós, aconteceu de tudo comigo, descobrir a doença do meu marido, então surgiram muitas dividas, muitas manipulações, dor, sofrimento, gravidez, recaídas ele foi internado, ele saiu recaiu de novo, mais descobriu um grupo N.A que ele vem frequentando há 8 meses e 29 dias e só por hoje esta limpo, e hoje a minha vida voltou a ser normal, vivo, sou feliz, não sou mais a sombra dele, ele voltou a ser uma pessoa normal e a nossa família que antes era desestruturada hoje somos só alegria, com ótimas conquistas, e no momento estamos de paz, e muito amor.

    Desejo de coração que vcs sejam muito felizes, tenha muita Força, Fé e muita paz de espirito, busque uma boa qualidade de vida.

    Otímas 24 horas de serenidade para nós.
    mil bjs


    "Sozinhos estamos Perdidos juntas encontramos a Nossa Força" !

    Oração da Serenidade

    “Eu seguro minha mão na sua, uno meu coração ao seu, para que juntos possamos fazer aquilo que sozinho eu não consigo. Concedei-me, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para distinguir umas das outras. FORÇA! FÉ! ALEGRIA!"

    ResponderExcluir
  4. "P", curta bastante esses dias que ele está com vocês... Depois me conta, sei que vai ser muito melhor do que você esperava e vai tirar de vc essa angústia e esse medo. Fica em paz querida, estamos juntas e juntas somos mais fortes!
    Tininha... òtimo comentário, acho que falando de nós mesmas, podemos ajudar outras pessoas não é mesmo?
    Beijo grande para vc e boa segunda!

    ResponderExcluir
  5. Gil. Agradeço seus comentários em meu blog. E venho aqui, te dar minhãs mãos e bons pensamentos.E saiba que tudo vale á pena, mesmo o medo e a insegurança da madrugada ou do dia seguinte.Mas,antes de mais nada,olhe-se no espelho, e veja quem la está.Faça-lhe perguntas como: eu mereço? Eu preciso? eu assumo? eu posso? E vai se surpreender, quando tudo que passamos nesta louca co-dependência,reaje quando queremos.O "não",o "possível",o "só por hoje" existe sim.Está ai, na sua frente.Diga todos os dias: Eu amo, mas não aceito o que voce está fazendo de errado".Deixe que este seja o lema de sua vida, e de muitos outros que passam por aqui.E assim, caminharemos em busca de nossa recuperação.
    Ja adoro voce,como uma companheira de boas recordações, se Deus quiser!!!!!
    Grande beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  6. Só para constar, convivo com três irmãs dependente químicas, e me policio diariamente, pois não sei de onde veio esse mal.Policio minhas filhas,e graças a Deus estamos indo em caminho certos.Mas aprendi,depois de muito afundar em meus barcos,que meus remos estavam bem próximos.E assim tento navegar em águas calmas.
    Beijos e Força sempre!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Sandra, obrigada pela visita e pelas palvras, você descreveu muito bem o que podemos fazer diante de cada sitaução, se queremos ou não sermos codependentes. A frase eu o amo, mas não aceito o que você está fazendo é perfeita para refletirmos...
    Com toda certeza seremos companheiras de boas recordações. Adoro ler o que você escreve!
    Beijos e muita luz no seu caminho.

    ResponderExcluir
  8. Eu tenho que lhe falar, quem le o seu blog não imagina que você tem ao seu lado 3 irmãs D.Q. quanta serenidade!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi tininha muito obrigado pelas palavras viu, como sempre falo adoro ouvir essas historias com final feliz, pois nos dar esperanças...
    Lutarei sim! Eu amo muito ele, e se Deus quiser vai dar tudo certo!
    Que bom tininha, agora sim você vive em paz do lado do seu amor, fico muito feliz!
    Vamos continuar lutando!
    bjus. Obrigado.

    ResponderExcluir
  10. É isso aí meninas, mauitas de nós já passamos por essa situação e algumas estão passando, acho que umas podem ajudar as outras, essa é a intenção!
    Beijos à todas.

    ResponderExcluir
  11. Querida "P"... pelo que vc contou, seu amor quer se recuperar e isso é o primeiro e decisivo passo de um adicto para se recuperar.
    Após o tratamento, será muito bom se ele puder frequentar reuniões dos Narcóticos Anonimos, pois os 12 passos são o vão mater ele limpo e em recuperação!
    O meu ex foi internado umas 9 vezes, sendo que nas ultimas 3 ou 4, nem lembro direito, teve que ir à força.
    Acho que a mãe dele errou, pois quando a internação é de vontade própria as chances são muito maiores.
    Quando ele voltar ajude ele com essas "3 chaves" fundamentais da recuperação: NÃO FREQUENTAR OS LUGARES DA ATIVA (ONDE OUTROS ADICTOS FREQUENTAM); NÃO CONVIVER COM PESSOAS QUE ESTÃO NA ADICÇÃO ATIVA E EVITAR SITUAÇÕES QUE O "LEMBREM" DA ADICÇÃO ATIVA DELE!
    O meu ex nunca concluiu um tratamento, pois quando não era a prefeitura que se recusava a pagar, a desequilibrada da mãe dele, ia lá e o buscava antes do tempo... eu nunca entendi por quê ela fazia isso!
    Além do mais ele nunca seguiu rigorosamente os 12 passos, nem essas 3 chaves que te falei acima... por isso acho que, na verdade ele não quer a recuperação, pois embora fique limpo longos períodos (da última vez foram 9 meses!) ele não muda todo seu estilo de vida, que o N.A. recomenda, para que haja uma recuperação.
    Tive que escolher entre eu e ele... após mais de 6 anos praticamente morando juntos, mas eu escolhi a mim. Agora estou lutando para controlar a minha codependencia e não voltar pra ele.
    Boa Sorte pra vcs dois!!
    Estamos Juntas!
    Bjos,
    Carol F.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...