quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Pelo amor, ou pela dor!



É comum ouvirmos por aí a famosa expressão " Se não é pelo amor, é pela dor" não é mesmo?

Pois é, essa máxima se torna quase que imperativa na vida de um dependente químico, uma vez que raramente ele se recupera pelo amor, somente pelo amor, mas sim pela dor e é essa dor que o leva a voltar a sentir amor e então iniciar o caminho da recuperação.

Mas, hoje não vou me prender somente na realidade de um dependente químico, porque sabemos que essa máxima se dá também em nossas vidas, em algum momento de nossas vidas.

Normalmente, quando estamos dentro de um ciclo de vida acelerado, onde não paramos para respirar, para agradecer, para celebrar, algo nos acontece e  nos faz parar, nos força a parar e nos leva a refletir tudo o que vivemos até aquele momento e com isso, amadurecermos, ou seja, pela dor, com a dor, crescemos.

Pode parecer um pouco exagero, mas não, ás vezes, o indivíduo tem tudo na vida, ou aparentemente tudo, um emprego valioso, uma família estruturada, uma casa maravilhosa e de repente tudo muda, parece que o munda vira de cabeça para baixo e a roda da vida passa a girar ao contrário.

E é esse o momento em que tudo pode acontecer, é o momento onde nos vemos nas chamadas encruzilhadas e aí é que está o perigo, pois, muitos desses indivíduos não estão preparados para essa nova situação e se perdem, literalmente se perdem, e encontram o caminho que já conhecemos, alguns, vão para a bebida, outros para as drogas, outros ainda para o jogo e há aqueles que simplesmente decidem partir desse mundo.

Eu me questiono, aonde vamos parar com essa falta de estrutura em que vivemos hoje? Será culpa de quem? Desse mundo alucinado, da correria maluca em busca do prazer imediato? Ou será do despreparo que vem desde a juventude, a infância?

As causas que levam um indivíduo a usar drogas por exemplo, são muitos, e variam de acordo com a fase e a idade do indivíduo, mas, há uma que está em todas essas fases e idades, a falta de equilíbrio emocional, que acomete tanto crianças, jovens e adultos e é por isso que insisto em dizer que o dependente químico não está sofrendo somente com a doença da Dependência, ele na maioria das vezes já estava adoecido muito antes de entrar para as drogas, doenças silenciosas, que muitas vezes achamos ser "frescuras", mas no fundo, estão aos poucos destruindo as emoções das pessoas, doenças como depressão, síndrome do pânico, stress e por aí vai, são na verdade a fase inicial do dependente.

Acabar com as drogas é algo quase que impossível, por isso, acho que temos é que buscar meios alternativos de combatê-las, através da informação, proporcionando estrutura emocional para as crianças de jovens de hoje, valorizando mais as nossas vidas e agradecendo e ensinando a agradecer ao Universo por mais um dia!

Boas 24 horas!!


9 comentários:

  1. Sabias palavras!!! temos que fazer nossa parte educar exigir combater com as armas que temos deus esteja conosco bjim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, acho que temos mudar o foco para tentar ter resultado ne....Não adianta querermos acabar com as drogas, temos que acabar com a necessidade das pessoas em usar drogas.

      Excluir
  2. Oi Giu, achei uma frase bacana que ilustra bem teu post.
    "Toda a educação assenta nestes dois princípios: primeiro repelir o assalto fogoso das crianças ignorantes à verdade e depois iniciar as crianças humilhadas na mentira, de modo insensível e progressivo."
    Franz Kafka
    A unica soluçao que eu vejo pra DQ, violencia, pobreza e tantos outros problemas sociais, é a educaçao. O ser humano se desenvolve na educaçao cientifica e moral, e tanto uma quanto a outra são as chaves para a evoluçao deste universo e erradicaçao de tantas misérias. Grande abraço e obrigada por um post tao reflexivo. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita a frade de Kafka, sempre!!! Adorei a sua reflexão!!! Eu é que agradeço
      Bjos

      Excluir
  3. cara..os motivos que levam uma pessoa a buscar a droga são tantos..são tão específicos...é uma coisa muito individual...um exemplo é..uma familia com dois filhos criados da mesma forma, com a mesma educação, com os mesmos principios, religião enfim...ai um entra nas drogas e outro se forma médico por exemplo...antigamente..pelo menos quando eu era criança..se ouvia que droga era uma droga...e minha mãe dizia, não aceita balas de estranhos pq eles colocam drogas e vc ira viciar...eu cresci e nada disso aconteceu....nunca usei droga pesada por medo..e o PS que me guardou...mais sempre gostei de beber...e comecei a beber pq era timida, pra me soltar...achei legal..gostei...e assim foram uns 12 anos..tomando a cervejinha pra relaxar..não adiantava ninguém me dizer...que isso iria me prejudicar...pq nunca havia me prejudicado...meu pai me zuava, pq tenho parentes que foram alcoólatras..e falava vc fica brincando...olha q ta no sangue...e eu naum dava importancia e nem me preocupava...pra mim ia acabar quando minha vida mudasse o foco..sei la..nem pensava muito nisso...ai tive 2 filhos..casei com um DQ, só assim pra mim parar com a cerveja...
    A solução pra DQ...sei não se ela existe...a recuperação sim...mesmo pq um DQ nasce DQ....e desenvolve a doença durante a sua vida...acho sim...que a sociedade tem o dever de enxergar o que realmente é a dependencia quimica...sem preconceitos...pra todos os envolvidos terem uma base sólida de apoio....
    Mais o fim das drogas...acho dificil...acontecer..alias quase que impossivel...afinal a droga está entre os 3 negócios mais lucrativos do mundo, perdendo apenas pro petróleo e pras armas...

    ResponderExcluir
  4. outra coisa..a dependencia quimica é uma doença de comportamento do cérebro, como a esquizofrenia e o Alzheimer..se uma pessoa é um DQ..e por curiosidade não por problemas emocionais...pelo menos...o que ouço de pessoas que trabalham em clinicas é que o dependente quimico, a maioria, iniciou o uso da droga apenas por curiosidade da sensação que ela provoca..se essa pessoa é um DQ.e resolve experimentar a droga..pronto ferro..as chances dele se afundar nisso sçao grandes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito Kel, compartilho da mesma opinião e ponto de vista!!

      Excluir
  5. Oi Giulli!
    Vc tocou numa questão fundamental! E não é só a falta de estrutura e o desequilibrio emocional do indivíduo... é da sociedade como um todo!
    Infelizmente nosso mundo, atual... civilizado, está profundamente doente!! Lembro que minha avó viuva, criou 10 filhos sozinha e 1 deles se tornou alcoolatra, após o suicidio de um filho.
    Eu fiquei totalmente desequilibrada emocionalmente enquanto estava com meu ex, mas nunca senti a mínima vontade de usar a droga, só de ver o que ela causava! e mesmo assim, dia após dia, mais pessoas aderem ao vício... Por que???
    Essa semana soube que meu ex já está de volta da clinica, enterrado nas drogas, outra vez! Fiquei arrasada! Sem chão... sem rumo... sem uma parede onde apoiar-me. Não que eu quisesse voltar pra ele, ainda que no fundo alimentasse uma fagulha de esperança! Então hoje fui cavalgar... fui até a margem da represa e lá fiquei a pensar... Ali naquela paz, com meu cavalo, olhando a água, me perguntei... perguntei ao Poder Maior por que tudo isso??? Acabar com as drogas não será possível enquanto o mundo continuar assim... e quando vai mudar? Ninguém tem essa resposta e isso é lamentável! A estrutura social chegou num ponto onde não há mais volta. Só nos resta esperar, nada mais. E isso é muito triste! Saber que aqueles a quem amamos se perderam de si mesmos, se perderam de seus princípios, de suas prioridades morais, de tudo que um dia lhes tinha valor... O que fazer? Nós estamos aprendendo alguma coisa pela dor (dizem que Deus faz hoje, a gente entende amanhã!) e eles estão tbém aprendendo pela dor... quando não suportarão mais essa dor? Quem pode saber? Por mais que queiramos ajudá-los... como fazer isso? Nem sei mais o que pensar... Boas 24hrs para vcs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É minha amiga, é um assunto delicado né!
      Eu imagino como se sentiu quando soube do seu ex, fiquei mal também quando soube que o Gabriel estava preso...
      É um mal que não tem fim, mas, ainda tenho esperança, acredito na prevenção!
      Beijos

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...